Cean | Centro de Estudos "Ayres Netto"

CEAN - Projetos > Destaques
Destaques

< Voltar

Nossos erros em Português

Escrevemos bem? Falamos corretamente?


Primeiramente a professora ressaltou a importância da língua portuguesa, ressaltando os seguintes pontos:

  • Português é a 5ª ou 6ª língua mais falada no Mundo;
  • 3ª língua mais falada no hemisfério ocidental;
  • Língua mais falada no hemisfério Sul;
  • Português é divulgado desde o século XIV com a colonização;
  • O tupi era a língua falada no Brasil até o século XIX;
  • Português começou a substituir o tupi com a onda imigratória portuguesa provocada pela corrida do ouro no século XVIII.
As diretrizes de ensino, promulgadas pelo Ministério da Educação, na ultima década, enfatizaram a necessidade da escola no processo de aprendizagem da língua portuguesa.
O escritor Bagno: "Pede, apenas, que as pessoas sensatas parem de considerar erros de português, as formas lexicais ou gramaticais que são condenados sem razão”.
Ressalta, ainda a postura da professora Nelida Piñon: "A escola, hoje, é frágil. Não estimula à leitura, não ensina a usar palavras para expressar idéias"
A professora explica que o português informal é considerado como correto e plenamente aceitável pelas correntes linguísticas. Porém, o português formal é aquele que prescreve a gramática tradicional.

Sintaxe


A) Regência verbal é por definição, a relação sintática de dependência que se estabelece entre verbo (termo regente) e seu complemento (termo regido).
Ex: A pesquisa consiste de três partes (errado)
      A pesquisa consiste em três partes (certo)
Ex: Ciclano foi diagnosticado com câncer de pulmão (errado)
      O médico diagnosticou câncer de pulmão no sicrano (certo)

B) Concordância Verbal é por definição, a concordância do verbo com o sujeito, ou seja, se o sujeito é singular o verbo também. Se o sujeito é plural o verbo deve concordar.
Ex: Vende-se materiais cirúrgicos (errado)
       Vendem-se materiais cirúrgicos (certo)
Ex: Aluga-se cadeiras (errado)
       Alugam-se cadeiras (certo)

C) Concordância Nominal.
Ex: Os menino saiu (errado)
       Os meninos saíram (certo)
Ex: Ficamos com uma dó da paciente (errado)
       Ficamos com um dó da paciente (certo)

D) Colocação Pronominal.
Ex: Me desculpe (errado)
       Desculpa-me (certo)
Ex: Me deixa entrar vai (errado)
       Deixa-me entrar, por favor (certo)


A professora ainda apresentou alguns exemplos de conjugação verbal e uso de alguns pronomes

A) Conjugação Verbal.
Ex: Eu vejo/ Nós vimos/ Eles Vêm (errado)
       Eu vejo/ Nós vemos/ Eles veem (certo)
Ex: Quando eu ver ele, darei-lhe o livro (errado)
       Quando eu o vir, eu lhe darei o livro (certo)

B) Pronomes (eu/me/mim/o/a/os/as).
Ex: Eu vi elas ontem (errado)
       Eu as vi ontem (certo)
Ex: Você conhece ele (errado)
       Você o conhece (certo)

C) Pronome cujo, um ilustre desconhecido.
Ex: Pega o medicamento que a caixa é branca (errado)
       Pegue o medicamento cuja a caixa é branca (certo)

D) Pronome onde, em função relativo ou interrogativa.
Ex: Sei aonde você está agora (errado)
       Sei onde você está agora (certo)

E) Onde: uso temporal X uso esdrúxulo.
Ex: Naquele tempo, onde não tinha telefonia móvel.

F) Pronomes: este/esse.
Ex: Esse livro aqui é lindo (errado)
       Este livro aqui é lindo (certo)

G) Miscelânea pronominal.
Ex: Se você não se cuidar, a AIDS vai te pegar (errado)
       Se você não se cuidar, a AIDS vai pegar você (certo)
Ex: Eu te amo. Você é tudo para mim
       Eu o amo. Você é tudo para mim

H) Pronome Se.
Ex: Era de se esperar (errado)
       Era de esperar (certo)

I) Grau superlativo.
Ex: Seríssimo (errado)
       Seriíssimo (certo)


Resumo da aula: Paula Cristina Aricó Rossi, Renata Martin Colabone, adrienne Pratti Lucarelli e Lilian Paiva Rodrigues.

< Voltar